Archive

Fashion

Há dois prazeres (pecados capitais?) muito associados a São Paulo: a comida e as compras.

Em cinco dias dediquei-me avidamente a ambos.

Porque nesse período de tempo não se pode ter tudo, e São Paulo é uma das capitais do Mundo, imensa, e com uma vida social e cultural super intensas, tivemos que delimitar os nossos passos, que acabaram por nos levar à descoberta das lojas mais apelativas e aos restaurantes mais bochichados.

Das compras

Convém haver algum planejamento antes da viagem, para que o rombo seja menor.

É que o risco de aterrisar nas lojas e surtar é enorme.

Porque há muito que fazer compras no Brasil deixou de ser sinónimo de voltar a casa (só) com a mala cheia de bikinis e havaianas. Significa ir a boutiques exclusivas que não existem na Europa, cheia de roupa ultra-feminina e muito gostosa, que as suas amigas (a menos que viajem junto)e as desconhecidas lá da terra não terão de certeza. Significa morrer completamente (de alegria) perante aquela panóplia multicolor, multi-forme e multi-bonita de sapatos que fazem as delícias de qualquer (repito, qualquer!) mulher.

Mas isso também significa gastar quantias consideráveis nesses “pequenos” prazeres, porque também há muito que o Brasil (e São Paulo em particular) deixou de ser um destino de férias barato.

Por tudo isso, há pequenos truques que podem fazer uma enorme diferença (ou não):

1. Ir aos sites das lojas – alvo, antes da viagem, e dar uma olhadela à colecção do momento. Tem o duplo efeito da “habituação” (ao menos deixa-se de fazer figura de otária perante aquele vestido mara! e há tempo para ponderar o preço) e da organização;

2. Enviar emails para as lojas e pedir que reservem aquele modelito especial que você achou super (as funcionárias são super solícitas e simpáticas. Toda a gente trabalha à comissão, por isso o empenho será absoluto).

3. Já em Sampa, pedir o guia de lojas dos shoppings, para perceber que lojas se quer ver.

4. Conselho de amiga: levar dinheiro em mão. Dói mais ver as notas a acabar.

5. Conselho da (amiga da) onça: o cartão de crédito (amigo/inimigo?) deve ser usado apenas  nas emergências, i.e., para comprar aquele vestido com poder de dar uma reviravolta na sua vida (se quisermos mesmo acreditar que isso existe).

 

O meu spot preferido para compras foi sem dúvida a famosa Rua Óscar Freire. Porque tem quase todas as lojas must go, é linda, agradavelmente “verde”, tem imensos cafés, restaurantes de renome (como o Figueira, o Tavares e o japonês Mori) e bares nas redondezas e não se fica com a sensação claustrofóbica de passar o dia inteiro dentro de um shopping.

Sugiro uma visita, entre sapatos e malas, a Livraria da Vila e aos Cafés Santo Grão ou Óscar Café, tudo na Óscar Freire.

Quanto aos shoppings, há imensos e não vale a pena (tentar) ir a todos!!!

Os mais agradáveis (que tive oportunidade de visitar), a meu ver, são o Iguatemi, o JK Iguatemi e o Cidade – Jardim, mas nada como fazer uma pequena pesquisa para verificar as lojas de cada um e (muito importante) a sua localização.

To be continued.

 

Nota: as palavras em itálico, por serem expressões tipicamente brasileiras, devem ser lidas com sotaque. Porque senão o texto perde a graça toda, poh!

%d bloggers like this: